Notícia

Florada de ipês oferece espetáculo de cores

20/07/2021 - Fonte:  G1


É na estação mais fria do ano e nos dias mais secos que as flores dos ipês desabrocham. Em meio ao verde das matas, as plantas ficam exuberantes e cheias de vida. Este cenário pode ser encontrado na zona rural do município de Jaú (SP). Conhecida por abrigar a maior reserva ecológica de ipês da região, a Fazenda Santo Antônio dos Ipês foi batizada com esse nome por conta da beleza das plantas cultivadas no local. As árvores centenárias de ipê ultrapassam 40 metros de altura, ficando acima da copa das outras árvores. A florada acontece todo ano e, às vezes, ocorre com menor ou maior intensidade. As mudanças são decorrentes de influências climáticas, de chuva e de frio. Então, há temporadas em que todos os ipês podem florescer ao mesmo tempo. Nativos do Brasil, os ipês são uma das plantas mais cultivadas no país, se adaptam a todos os ambientes e ficam repletos de cor. Isso acontece por conta de uma combinação de fatores, como explica o diretor do Jardim Botânico de Bauru (SP), Luiz Carlos De Almeida Neto. A época em que as plantas dão só flores é determinada pelo fotoperíodo, que é a quantidade de horas de luz que ela irá receber durante o dia, associado a outros fatores, incluindo, por exemplo, a temperatura e a precipitação. Antes de florescer, as folhas caem e as árvores ficam tão secas que parecem não ter vida. Quando as flores desabrocham, entre junho e setembro, é um verdadeiro espetáculo da natureza. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 18/07/2021) A planta apresenta várias curiosidades. O nome ipê é originário da língua tupi e significa casca dura. Antigamente, os índios utilizavam a madeira destas árvores para fazer arcos de caça e de defesa, conhecidos como pau d'arco. O material também foi bastante usado na construção de telhados de igrejas dos séculos XVII e XVIII. No centro-oeste paulista, é possível encontrar diversos tipos de ipê: roxo, branco, rosa e amarelo. Além dessas espécies tradicionais, existem outros tipos que são pouco conhecidos, como é o caso do ipê-tabaco, que está ameaçado de extinção. Ainda há o ipê-verde, que é uma outra espécie que faz parte da coleção do Jardim Botânico. Essa é uma planta típica de cerrado e segue o mesmo padrão dos demais ipês. No viveiro do Jardim Botânico, os frutos ficam alguns dias secando até abrirem de forma natural. Após esse período, as sementes vão para o teste de germinação e, em seguida, seguem para o armazenamento em câmara fria. O teste de germinação é feito para saber se as sementes vão vingar e, em poucos dias, já é possível julgar se os grãos são produtivos ou não. Se o resultado for positivo, é possível realizar o plantio em áreas pobres em vegetação. Em outros casos, quando não há a ajuda do homem na hora de preservar as espécies, o ipê mãe conta apenas com o vento para se reproduzir e render novas e belíssimas floradas. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais


© 2013 - GS Notícias

Todos os Direitos Reservados